"MAMÃE DO CÉU EU ME DOO A TI!" abaixo de 6 anos

(Recomenda-se de trazer as crianças pré-escolares em pequenos grupos).

Meus pequeninos, bom dia a todos! Eu sou... (* dizer o próprio nome), vocês sabem quem é esta Senhora aqui presente? (* Apontando para a imagem de Nossa Senhora de Fátima) Quem é?
- “Maria” (ou Nossa Senhora) - Quem é Maria?
- “A Mãe de Jesus” - É verdade. Mas de quem mais é a Mãe?
- “Nossa” - Só vocês pequenos ou também dos grandes?
- “Também dos grandes!”.
- É Mãe mesmo daqueles que fazem coisas más, que roubam, que matam...? – “Sim... Não!...”
(* Deixe as crianças responder).
Eu vejo que não estamos todos de acordo... agora vou explicar-lhes uma coisa importante: Todos os homens, jovens e velhos, bons e maus, pertencemos a uma grande família onde Deus é o Pai, a Virgem Maria é a Mãe, Jesus é o Irmão mais velho e nós somos todos irmãos.
Como acontece em todas as famílias, na grande família humana há alguma criança que não se comporta bem, que faz coisas más. A mãe e o pai as amam sempre, mesmo que elas sejam ruins. Mas quando vocês se comportam mal, seu pai e sua mãe estão felizes? - "Nããão!"

- Claro que não, porque a mãe e o pai querem que seus filhos sejam sempre... “... Bons” (* Deixe as crianças responder).

- Bem, agora vou lhe contar uma história muito importante, falo como se fosse um conto de fadas, mas é uma história verdadeira que começou no Céu. Como é o Céu? (* Deixe as crianças responder) – “É azul...! É branco!...”
- É verdade, o Céu é azul, quando há nuvens é branco ou cinza, mas por trás do azul ou branco é um mundo maravilhoso que se chama... (* Deixe as crianças responder) – “Céu”. É um mundo lindo em algumas coisas é como a terra: há muitas flores, há sempre um sol maravilhoso... Mas acima de tudo o Céu é bonito, porque todo mundo é bom e todo mundo se gosta: sem gritos, ninguém faz o mal, você não está sozinho, está sempre jogando e sempre sorrindo...
A história que estou para lhes contar aconteceu lá no Céu... Onde mora Nossa Senhora? (* Deixe as crianças responder) – “No Céu!”.
- E quem mais vive no Céu? (* Deixe as crianças responder) – “... Jesus, Deus Pai..., ...os Anjos e os Santos ...”
- E os nossos parentes que morreram aonde eles vão? (* Deixe as crianças responder) – “No Céu”.

Um dia, a Virgem Maria foi passear nos belos jardins do Céu e se encontrou com Deus... Quem é Deus? (* Deixe as crianças responder, se ninguém falar, sugerir... “Deus é nosso...”) – “Pai!”.
- ...E Maria viu que o Pai do Céu estava muito triste, e disse-lhe: - Querido Papai, por que Você está tão triste? Todos lhe amamos... E o Pai do Céu respondeu: - Sim, é verdade, aqui no Céu são todos bons e me querem muito bem, mas tenho tantos outros filhos que vivem na... (* Deixe as crianças responder) – “...terra!”.
- Destes filhos, alguns são bons, especialmente as crianças, mas entre os grandes, há muitos que não Me amam, Me insultam, fazem coisas ruins, roubam, ferem seus irmãos, matando alguns deles com muita violência e guerras... Como posso ser feliz com um monte de filhos maus que estão em perigo de ir para o inferno?
A Virgem Maria chorou e disse para o Pai do Céu - Pai, Eu não posso vê-Lo sofrer... Se Você me deixar, Eu vou à terra e vou lhe garantir que todas as pessoas se tornarão boas, Eu prometo. O Pai do Céu sorriu à pequena Maria e disse: - Ok desce sobre a terra, mas não vai ser fácil, porque muitas pessoas não Te acolherão e não Te ouvirão... Obrigado pelo que Você poderá fazer.


Nossa Senhora desceu à terra, mas ninguém a reconheceu, parecia uma Mãe como todas as outras. Ela foi onde estavam seus filhos piores e tentou convencê-los a tornarem-se bons.
Ela se aproximou de alguns jovens que estavam brigando, dizendo palavrões, eles desobedeciam aos seus pais e disse-lhes: - Meus filhos, porque fazem essas coisas más? Por que vocês não se comportam bem? - E eles responderam - Nós não somos crianças, somos adultos e fazemos o que nós queremos. Nós não queremos ouvir.
Chegou a um país que estava fazendo uma guerra terrível. Havia muitos soldados que estavam atirando uns aos outros com armas - com armas de verdade! – E se matavam... E a Virgem Maria, disse-lhes: - Meus filhos, por que vocês estão matando? Por que não querem fazer a paz e não se amam, não jogam juntos, não querem se ajudar uns aos outros... Mas eles responderam: - Nós somos grandes, temos as armas e queremos matar. Não queremos ouvir Você!
Pobre Nossa Senhora! Nossa pobre Mãe do Céu! Ela estava tão cansada que parou para descansar um pouco, Ela chorou e disse: - “Estes meus filhos não querem Me ouvir. Eu não aguento mais isso! Eu prometi ao Pai do Céu que os tornaria todos bons, mas sozinha não consigo fazer isso. Eu preciso encontrar alguém para me ajudar... E quem poderia ser?”.




(* Neste ponto, as crianças começam a dizer: - “Jesus!”. Responder-se-á: - “Mas Jesus está no Céu...”. “Deus!”; se responde: “Ele está também no Céu”; “Os Anjos...!”; “Mas também os Anjos estão todos no Céu...). Nossa Senhora precisava de alguém para ajudá-La aqui na terra... Quem poderia ser?... A quem poderia Ela pedir ajuda?
Caminhou, caminhou e um dia viu três crianças que eram pastores e que estavam em um campo com as ovelhas. Eram três crianças um pouco maiores de vocês, chamavam-se Lúcia, Francisco e Jacinta... A Nossa Mãezinha viu esses três pequenos e pensou: “As crianças! Os grandes não querem Me ouvir e não querem Me ajudar, mas quem sabe... talvez as crianças vão me ajudar!”.
De repente, as crianças viram uma grande luz, e no meio dessa luz, uma Senhora bonita, mais brilhante que o sol. Eles tiveram um pouco de medo... mas a Senhora acalmou-os com estas palavras: “Crianças, não tenham ... (* Deixe as crianças continuam)... medo! Não quero fazer-lhes algum... (* Deixe as crianças continuam)... mal”.
As crianças se animaram e começaram a fazer muitas perguntas a esta bela Senhora: “Quem é você? Qual é o Seu nome? De onde você é? O que você quer de nós?”. E a Senhora respondeu:  “Eu venho do Céu... Eu sou a Mãe de Jesus e de todos os homens... Eu vim porque quero fazer todos os homens bons, mas sozinha Eu... (* Deixe as crianças continuam)...não posso. Eu vim para pedir sua ajuda!... Vocês vão Me ajudar a tornar todos  bons?”
As três crianças, pensaram um pouco, e depois disseram com todo o seu coração: “Sim nós ajudamos Você!”.
A Mãe do Céu com as três crianças fez tantas coisas bonitas, que iremos lhes contar quando irão para a escola primária. Mas uma coisa muito importante devo dizer-lhes logo: Nossa Senhora me disse esta manhã: “Nesta escola há muitas crianças... vamos ver se entre eles há alguém que está disposto a ajudar, assim como as três crianças de Fátima. Eu não aguento mais!”.
E eu vim aqui. Agora lhes pergunto:
“Há alguém entre vós que está disposto a ajudar Nossa Senhora? Levante a mão quem quer ajudar!” (* Levante a mão para dar o exemplo...).
- "Eu ... eu ... eu ... eu ...”.
- Bem, agora podem baixar suas mãos e responder aquilo que vou lhes perguntar: Querem ajudar a Mãe do Céu para tornar todos bons? – “Siiiim!”.
- Querem dar-vos ao Pai Celestial para consolá-lo por todo o sofrimento que Lhe causam os filhos ruins? “Siiiiiim”
Bem, agora vou lhe ensinar algumas pequenas orações. A primeira ao Papai do Céu: - “Pai, eu me entrego a Ti”. Repita todos juntos: “PAPAI DO CÉU EU ME ENTREGO A TI!”.
A segunda à Mãe do Céu, “Mãe do Céu, eu me entrego a Ti!”. Repetimos todos juntos: “MAMÃE DO CÉU, EU ME ENTREGO A TI!”. A última ao nosso Anjo da Guarda: “Meu irmão, me dê a mão, me leve a Deus”. Vamos repetir juntos: “MEU IRMÃO, ME DÊ A MÃO, ME LEVE A DEUS!”.

Agora eu convido você para dar um beijinho à Nossa Mãezinha do Céu. Queremos enviar-lhe um beijinho? Sim? Então, vamos enviar este beijinho... Não, assim não vai... vocês têm que soprar o beijinho se não não chega... Faça como eu, soprando...
É isso mesmo... Mas aconteceu uma confusão: os beijinhos vieram todos juntos, e à Mãe do Céu não conseguiu descobrir quem os enviou para ela. Queremos dar-lhe um beijo um de cada vez, para lembrar exatamente quem deu para Ela? “Este Me deu... João, Maria... e este... esse Antonio”. Queremos provar? Sim?
Bem, então formamos uma fila um de cada vez dê um beijinho em Nossa Mãezinha, dizendo-Lhe a pequena oração que aprendemos: “MÃMÃE DO CÉU ME ENTREGO A TI”.


 

(* Deve se ter muito cuidado, porque as crianças muitas vezes se atrapalham em dizer esta pequena oração, que deve ser feita novamente até que a rezem corretamente. Além disso, muitas vezes acontece que nem todas as crianças são preparadas para dar o beijo e pronunciar a formula curta de consagração: há sempre alguém que se recusa: é uma confirmação da validade da Consagração).
Terminar com uma música e uma saudação à Virgem Maria.