Imprimir 

 

Nota para aqueles que transmitem a mensagem para as crianças: no texto há uma lógica consequencial que deve ser respeitada, então na exposição, por favor, mantenham a ordem dos tópicos assim como eles são relatados. Com base em nossa experiência, especialmente quando as crianças são muitas, ou ao ar livre ou e quando a acústica não é boa, sugerimos de serem mais sintéticos possíveis: pode-se omitir o relato das aparições do Anjo e/ou o exemplo da pequena coroa doada para entender o significado da consagração.
Queridas crianças, eu vos trago a melhor notícia do mundo, vocês estão dispostas a aceitá-la? Vocês sabem que há muito mal no mundo: guerras, drogas, violência, doenças, famílias que se dividem, milhões de crianças que morrem de fome... Vocês ficariam felizes se todas essas coisas ruins acabassem? “Sim?!” E se isso dependesse de vocês, somente de vocês, vocês estariam dispostos a se comprometerem para que o mal desapareça quanto antes? “Sim?!”. Bem, então vocês têm que me prometer que vão prestar atenção no que vou lhes dizer. Eu vou lhes contar a história de três crianças como vocês. É uma história verdadeira. Estas três crianças vos ensinarão o que vocês precisam fazer para livrar o mundo do mal e trazer um novo mundo onde só há amor. Então....
OS TRÊS PASTORINHOS E O ANJO DA PAZ
Os fatos que estou prestes a contar-lhes ocorreram em 1917, em Fátima, uma pequena aldeia em Portugal, na Europa, onde na época estava acontecendo a Primeira Guerra Mundial.
Em Fátima viviam três crianças que não iam à escola porque eram muito pobres e tinham de ajudar suas famílias que tinham as ovelhas para pastar. Estas crianças chamavam-se Lúcia, de 10 anos, Francisco de 9 e Jacinta de 7. Estes últimos eram irmãos e primos de Lúcia.
As coisas que estou lhes contando as escreveu Lúcia, em quatro cadernos de Memórias. Ela se tornou uma freira de clausura no Carmelo de Coimbra no Portugal. Lúcia foi para o céu o 13 fevereiro de 2005.

Um dia, enquanto estavam pastando suas ovelhas, os três Pastorinhos viram se aproximar um jovem luminoso como que transparente que parecia ter 12-14 anos: “Não tenha medo – disse-lhes - Eu sou o Anjo da Paz, o Anjo da Guarda de Portugal, rogai comigo!”. Era o Arcanjo São Miguel, uma vez que ele é o protetor de Portugal. Apareceu três vezes e ensinou às crianças algumas orações.

A primeira vez o Anjo lhes ensinou uma oração maravilhosa e a repetiu por três vezes de joelhos, com o rosto no chão: “Meu Deus, eu creio, adoro, espero e amo-Vos, peço-Vos perdão pelos que não creem, não adoram, não esperam e não vos amam”. Então, ele os exortou a rezar muito, dizendo: “Os Corações de Jesus e Maria acolheram as suas súplicas” e desapareceu. As crianças no primeiro momento fizeram como o Anjo lhes havia dito, orando muito. No entanto, após o entusiasmo inicial, eles voltaram para os seus jogos como se nada tivesse acontecido.
Depois de algum tempo, o Anjo apareceu-lhes novamente, enquanto eles estavam brincando no jardim de Lúcia e repreendeu-os, exortando-os novamente a rezar e fazer sacrifícios: “O que vocês estão fazendo? Rezem, rezem muito... Ofereçam orações e sacrifícios constantemente ao Altíssimo... acima de tudo, aceitai e suportai com submissão o sofrimento que o Senhor vos enviar. Os sacrifícios das crianças são caros para o Senhor, são poderosos para a conversão dos maus”. Alguns meses mais tarde, o Anjo apareceu-lhes pela terceira vez segurando um Cálice com uma Hóstia acima do Cálice da qual caiam gotas de Sangue. Deixando o Cálice e a Hóstia suspensos no ar, o Anjo ajoelhou-se ao lado das três crianças e as fez repetir três vezes esta oração: “Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, adoro-Vos profundamente e ofereço-Vos o Preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os sacrários da terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido. E pelos méritos infinitos do Seu Sacratíssimo Coração e do Coração Imaculado de Maria, peço-Vos a conversão dos pobres pecadores”. Depois o Anjo fez a Comunhão às crianças dando-lhes o Corpo e o Sangue de Jesus.

O Anjo da Paz, então, exortou as crianças a fazer sacrifícios e a orar pela conversão dos pecadores; a amar Jesus na Eucaristia reparando as ofensas que são feitas a Ele neste Sacramento. Essas duas coisas se tornaram o principal objetivo da vida dos três Pastorinhos, e este deve ser o objetivo de todas as crianças do mundo que querem imitá-los. Lúcia, Francisco e Jacinta se comprometeram a fazer muitos pequenos sacrifícios para os pobres pecadores, por exemplo, renunciavam ao lanche para da-lo aos pobres, às vezes não bebiam água por dias inteiros, em agosto, no verão da Europa, quando o calor era mais forte; por manhãs inteiras rezavam, com o rosto no chão, repetindo a oração que o Anjo lhes havia ensinado.
Desta forma eles estavam se preparando para outro encontro, muito mais importante.

ENCONTRO COM NOSSA SENHORA
Este novo encontro aconteceu em 13 de maio de 1917, ao meio-dia, em um belo dia ensolarado. Os três Pastorinhos tinham acabado de rezar o Terço. De repente, ouviram ruídos como de trovão e logo viram uma grande luz, no meio da qual havia uma Senhora bonita, mais brilhante que o sol. As crianças tiveram um pouco de medo, mas a Senhora as acalmou com sua voz dulcíssima: “Não tenha medo, não vou lhes fazer mal algum”.
As crianças se animaram e começaram a dirigir à Senhora várias perguntas: “Quem é Você? Qual é o Seu nome? De onde Você é? O que Você quer de nós?”. A Senhora respondeu: “Eu venho do Céu" e apontou para o Céu com a mão, “Eu quero encontrá-los aqui novamente cinco vezes, seguidos no dia 13 de cada mês... o meu Nome vou lhes dizer no final...”.
Elas fizeram outras perguntas às quais a Senhora respondeu e, por fim, foi Ela que lhes dirigiu uma pergunta: “Estais dispostos a oferecer-vos a Deus, prontos a aceitar o que Ele vos mandar, pela paz do mundo e pela conversão dos pecadores?”.
Desta pergunta depende a salvação do mundo. As três crianças perceberam que era algo importante, e ficaram por um tempo em silêncio. Então, responderam com firmeza: “Sim”.
A Senhora sorriu e falou novamente: “Bem, não tenham medo de nada. A Graça de Deus será o seu conforto”. Então Ela abriu os braços e das Suas mãos partiram dois grandes raios de Luz que atingiram as crianças em seu peito e penetraram dentro delas, “Essa Luz era Deus”, Lúcia escreveu em seu diário.
Depois a Senhora começou a subir para o Céu e suas últimas palavras foram: “Rezem o Terço todos os dias”.
Nossa Senhora apareceu às crianças cinco vezes mais, a última em 13 de outubro, quando houve o milagre maravilhoso do sol.
Queridas crianças, agora não posso contar-lhes como aconteceram as outras cinco aparições, devo, porém, fazer vocês refletirem sobre algumas coisas muito importantes deste primeiro encontro. Assim: Nossa Senhora desce do Céu para trazer a Paz no mundo e pela conversão dos pecadores.
O que é a Paz?(* Deixar que as crianças respondam cada uma como quiser; quase sempre alguém diz: é o Amor! Se ninguém falar concluir dizendo): A Paz é o Amor!
O que quer dizer “a conversão dos pecadores”? Isso significa que os maus se tornam bons.
Agora vamos fazer uma pequena reflexão sobre essas duas coisas:
O que seria do mundo se todos os bandidos se tornassem bons e se todos tivessem muito amor em seu coração? Iriam desaparecer todas as coisas ruins: Guerras, fábricas de armas, tribunais, prisões... não haveria mais pessoas que sofrem de fome, não haveria mais violência... as famílias não se dividiriam mais... todos teriam um belo sorriso para os irmãos, todos se ajudariam, iriam jogar juntos...
O que seria da terra?(* Normalmente, algumas crianças dizem: Um paraíso! Se ninguém falar concluir dizendo...) Ela se tornaria um paraíso!

E vocês seriam felizes se isso acontecesse? Sim!
E se eu lhes disser que isso depende de vocês crianças, vocês estariam dispostas a fazer o que fizeram os três Pastorinhos, aceitando o convite da Virgem? Sim!
Vejam bem: muitas pessoas pensam que isto é impossível, que todo o mundo se torne Amor. Mas eu lhe pergunto:
Nossa Senhora pode mentir? Não!
E então, vocês sabem a oração do Pai Nosso? Nesta oração pedimos ao Pai do Céu: “Venha a nós o Teu Reino... de Amor... assim na Terra como no Céu, seja feita a Vossa Vontade... de Amor...!”. Nossa Senhora veio para nos dizer que chegou a hora: na Terra está para descer finalmente o Amor... Mas com uma condição: que as crianças A ajudem a realizar esse plano maravilhoso de Deus, Ela veio a Fátima para isso, para pedir a ajuda das suas crianças, e por isso mesmo Ela veio hoje aqui entre vocês.
Vocês irão dizer: “Mas o que podemos fazer nós crianças? Somos pequenas, não somos poderosas, não somos ricas, não tiramos sempre as melhores notas na escola...”. Bem, agora vou lhes contar o que Nossa Senhora foi capaz de fazer com as três crianças de Fátima que eram mais pobres do que vocês, nem podiam ir à escola e nem sequer sabiam ler e escrever. Eu vou lhes contar um fato que aconteceu com elas: Em 13 de Julho, na terceira aparição, Nossa Senhora lhes falou o que iria acontecer no mundo. Entre outras coisas, Ela falou sobre as duas grandes guerras mundiais (1915-1918 e 1940-1945) que no século passado devastaram a Europa. Ela disse: “Esta Guerra Mundial vai acabar dentro de pouco tempo, mas depois explodirá uma segunda pior do que esta”. Mais tarde, Ela acrescentou: “Eu vou salvar a sua terra natal, ou seja, Portugal, da Segunda Guerra Mundial...”. Bem, crianças saibam que Portugal não participou da Segunda Guerra Mundial graças a Lúcia, Francisco e Jacinta, que responderam “sim” à Virgem Maria. Essas coisas não fui eu que as inventei, é a verdadeira história.

Agora eu vou lhes fazer uma pergunta:
“Vocês acham que Nossa Senhora queria apenas ir às três crianças de Portugal ou a todas as crianças do mundo?” A todas as crianças do mundo!
 “Então, a vocês também?”... Sim.
E agora vou fazer-lhes outra pergunta:
“Se apenas com três crianças Nossa Senhora foi capaz de salvar uma grande nação da guerra, o que Ela poderá salvar se encontrar milhares e milhares de crianças que A ajudam?” O mundo!
Sim, crianças, é isso mesmo! Padre Pio de Pietrelcina, um padre capuchinho santo do qual nasceram os “Ninhos de Oração” da Armada Branca, falou assim que: “As crianças vão salvar o mundo!”. Pensem nisso, crianças: apenas se fizermos tudo o que Nossa Senhora nos pediu para salvar o mundo. Mas o que devemos fazer? Três coisas:

1° = Oferecer-nos a Deus (o que significa isto?)
2° = Rezar o Terço todos os dias
3° = Fazer algum pequeno sacrifício


"Quereis oferecer-vos a Deus…?”            

 

Esta é a primeira coisa que Nossa Senhora pediu aos três Pastorinhos.
Vocês tem que entender bem o que significa. Vamos dar um exemplo que pode ajudar-nos: todos receberam um Tercinho que colocaram ao pescoço, este Tercinho era meu, agora que eu vo-lo dei de quem é? “Nosso!”. Certo! Responderam bem. Agora, se aquele Tercinho é seu, vocês pode fazer o que quiserem porque é seu. Mas, se eu não vo-lo tivesse dado, o que vocês poderiam fazer? Vocês me respondem: “Nada!”.
Vamos agora fazer uma reflexão um pouco mais profunda. Se dissermos ao Pai do Céu: “Pai, eu me entrego a Ti! Eu me ofereço a Ti!”. Depois deste oferecimento a quem pertencemos?
Vocês respondem: “A Ele!...”. É uma verdade, porque vocês se deram a Ele.
E o que pode fazer com vocês o Pai do Céu?
“Tudo o que Ele quer”. Certo, pois agora vocês pertencem a Ele e Ele quer apenas uma coisa: trazer através nós a Paz para o mundo inteiro.

Mas se vocês dizem: “Eu ao Pai do Céu, não quero oferecer nada, eu não vou fazer o que Nossa Senhora me pediu”, o que Ele pode fazer com vocês? Vocês me responderão com certeza: “Nada”. E vocês sabem por quê? Porque Ele nos criou livres e não quer que façamos à força o que nos pede, pois Ele respeita a nossa liberdade.
Às três crianças de Fátima, a Virgem fez um convite e elas eram livres de aceitar ou rejeitar. Responderam “sim” e, assim foram capazes de salvar o seu país da guerra. Se tivessem respondido “não”, o que teria acontecido a Portugal?
“Ele teria ido para a guerra”. Vocês vêm como são poderosas as crianças como vocês?
Você entende não é? Sim? Bem, agora, se Nossa Senhora pediu ajuda a vocês para salvar o mundo, há alguém aqui que estaria disposto a ajudá-La? Quem? (* Dar o exemplo levantando a mão): Eu sou um. Quem mais? Quem vai levantar a mão? Todos mesmo?

Bem, agora eu vou fazer a vocês o mesmo convite que Nossa Senhora fez aos três Pastorinhos de Fátima: “Quereis oferecer-vos a Deus, prontos a aceitar tudo o que Ele vos mandar, pela Paz no mundo e pela conversão dos pecadores...” e depois vou acrescentar: “... pelo o Papa e para o triunfo do Coração Imaculado de Maria?”. Quem quiser ajudar a Nossa Mãe do Céu responderá bem forte com o seu "sim". Certo?

Antes de tudo, consagramo-nos ao Anjo da Paz - São Miguel Arcanjo - com esta pequena oração: “Meu Irmão, pegue na minha mão e me leve a Deus” Rezemos juntos: “Meu Irmão...”

 

Fiquemos com as mãozinhas unidas e com os olhos fechados. Cada um pergunte a si mesmo se quer dizer que este “sim” a Deus com todo o coração. Tomamos alguns momentos de silêncio (* 20 segundo -30). Pronto?
Meus irmãozinhos e irmãzinhas lhes peço em nome da Nossa Mãe do Céu que precisa da sua ajuda (* Com voz clara pronunciar as palavras corretamente):“QUEREIS OFERECER-VOS A DEUS, PRONTOS PARA ACEITAR TUDO O QUE ELE VOS MANDAR, PELA A PAZ NO MUNDO, PELA CONVERSÃO DOS PECADORES, PELO PAPA, PARA O TRIUNFO DO CORAÇÃO IMACULADO DE MARIA?”
- “SIIIIIM!!!”
Não, não gostei muito. Eu quero um “sim” que parta do seu coração, um “sim” forte que deve romper o Céu para que desça sobre a Terra e um mar de Amor... Um “sim” que faça estremecer o inferno! Então, vamos fazer outra vez agora para valer. Façamos novamente uma pausa. Lembrem-se que este é o “sim” mais importante da sua vida, que deste “sim” depende a salvação de todas as pessoas do mundo.
Estejamos todos com as mãozinhas unidas e com os olhinhos fechados. Cada um pergunte a si mesmo, a si mesma, se verdadeiramente, com todo o seu coração quer dizer este “sim”.
Crianças, vo-lo peço em nome da Mãe do Céu que veio para pedir a sua ajuda: “QUEREIS OFERECER-VOS A DEUS, PRONTOS PARA ACEITAR TUDO O QUE ELE VOS MANDAR, PELA PAZ NO MUNDO, PELA CONVERSÃO DOS PECADORES, PELO PAPA E PARA TRIUNFO DO CORAÇÃO IMACULADO DE MARIA?”.
“SIIIM!”.

Agora vamos ficar alguns momentos em silêncio, com os olhos fechados e as mãozinhas unidas; peçamos à Nossa Mãe do Céu de abrir suas mãos, como fez em Fátima, e de fazer descer sobre nós e sobre o mundo inteiro o Amor de Deus (* Pausa de 20-30 segundos).

E agora, crianças, deixem-me lhes dizer uma coisa da parte da nossa Mãe do Céu. Vocês sabem o que Ela vos diz? Ela diz para vocês: “Obrigada! Obrigada por terem acolhido o meu convite”. Agora vou ensinar-lhes duas pequenas orações de consagração, que você deve sempre repetir durante o dia para a Mãe do Céu, “MÃE DO CÉU DOU-VOS O MEU CORAÇÃO E A MINHA VONTADE POR TODA A ETERNIDADE, SALVAI A HUMANIDADE”, e para o Pai do Céu: “MEU PAI, MEU BOM PAI, A TI ME OFEREÇO, A TI ME DOO”. Rezemo-la juntos e forte.
Obrigado crianças, obrigado da parte do Pai do Céu e de Nossa Senhora. Obrigado também por mim.

Agora lhes daremos um folheto onde está escrito como rezar o Rosário (os professores ou os acompanhantes ​​distribuem os Terços).


COMO REZAR O ROSÁRIO

Antes de tudo vou explicar o que é o Rosário. O Rosário é a arma de Maria para destruir o mal.
O Rosário é uma arma (assim o chamava Padre Pio de Pietrelcina). Para que servem as armas? Para matar. Bem, o Rosário é a única arma no mundo que não mata o homem, mas mata... (* pecado, o mal ... deixar que  as crianças o digam).
Se usarmos esta arma em muitos, vamos formar um grande exército, uma grande ARMADA, uma ARMADA BRANCA, porque o branco é a cor da paz, a cor da pureza, a cor da inocência. Esta é a única armada do mundo que não vai fazer guerra, mas vai fazer a paz, que não vai gerar o ódio, mas o Amor.

Farão parte desta ARMADA BRANCA de Nossa Senhora todas as crianças do mundo que recitarem o Terço todos os dias, sozinhos ou formando pequenos grupos de oração - a oração dos NINHOS DE ORAÇÃO DA ARMADA BRANCA - com suas famílias, com os parentes ou com os amigos. Vocês encontram escrito no folheto que vos temos doado como se faz um Ninho de Oração. Agora vamos ver como se reza o Rosário.

Vocês têm todos a coroa do Terço? Vocês têm todos o folheto com os mistérios do Rosário? Bem, abram-no. Em cima está escrito: “O Santo Rosário” e abaixo o que está escrito? “Mistérios Gozosos”, e depois “Mistérios Luminosos, Mistérios Dolorosos” e, por último, “Mistérios Gloriosos”.
O que são os “Mistérios”? São os momentos mais importantes da vida de Jesus e de Maria: Os Mistérios Gozosos são os de alegria que nos fazem meditar sobre os primeiros anos da vida de Jesus; os Luminosos sobre os acontecimentos mais importantes de sua vida pública; os Dolorosos em sua Paixão e Morte; os Gloriosos sobre a Ressurreição e o triunfo de Jesus e Maria no Céu.
Ao lado dos Mistérios Gozosos, o que está escrito entre parênteses? – “Segunda-feira e sábado”.


Ao lado dos Mistérios Luminosos o que está escrito? – “Quinta-feira”.
Ao lado dos Mistérios Dolorosos o que está escrito? “Terça-feira e sexta-feira”.
Ao lado dos Mistérios Gloriosos o que está escrito? – “Sábado e Domingo”.
Isto significa que existem 20 Mistérios do Rosário, que deveriam ser recitados os 20 a cada dia. No entanto, se não se pode recitar todos eles, deve-se rezar pelo menos os especificados para esse dia. Por exemplo: Quinta-feira que Mistérios devemos rezar? “Os Mistérios Luminosos”, e sábado? “Os Mistérios Gozosos”. Tudo bem.
Que dia é hoje? (*As crianças respondem) Que Mistérios devemos rezar? (*As crianças respondem). Bem, agora vamos ler o que está escrito no primeiro mistério lemos juntos: “No primeiro Mistério Gozoso contemplamos (ou seja, vamos meditar) a Anunciação do Anjo Gabriel a Maria”. Bem, agora dobrem o folheto e coloquem-no no bolso.

Para começar a rezar o Terço, vamos fazer o sinal da Cruz, mas vamos fazê-lo direitinho, um sinal amplo e lento: “Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém”. Agora vamos pegar em mãos o Terço que temos no pescoço e, com estes dois dedos que formam uma pinça (mostrar o dedo indicador e o polegar juntos) – apertamos a medalha dizendo: “No primeiro Mistério Gozoso (* ou Luminoso, Doloroso, Glorioso...) contemplamos...”.
Agora vamos rezar o Pai Nosso. A fila da direita diz a primeira metade e a fila da esquerda diz a outra metade (ou, se você preferir, eu digo a primeira parte e vocês a segunda): Pai nosso que estais no Céu...
Agora peguem na primeira bolinha depois da medalha, não aquela que vai para o Crucifixo, mas a de dentro do círculo e rezemos juntos a Ave Maria.
Peguem agora na segunda bolinha, e apertem-na até que terminar a segunda Ave Maria, em seguida, peguem na terceira... Agora não digo mais qual bolinha devem pegar, vamos ver quem consegue contar todas elas até o final da dezena... (* Quando se chegar à penúltima Ave Maria pedir às crianças: quantas bolinhas faltam?- “Uma” - Muito bem?!).
Agora, crianças, peguemos a bolinha grande e digamos juntos: “Glória ao Pai...”.

Agora, sempre apertando a bolinha grande, rezemos a oração que a Virgem ensinou às crianças de Fátima em 13 de julho, depois que lhes mostrou o inferno. Vocês vão encontrá-la no folheto, abram-no e vão para a segunda coluna, onde está escrito: “Pai Nosso”...; abaixo: “Ave Maria ...”; abaixo ainda: “Glória ao Pai....” e ainda mais abaixo: “O Meu Jesus ... “Leiamos juntos esta oração lentamente:
“Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno, levai ao Céu todas as almas principalmente as que mais precisarem da Vossa Misericórdia”.
Agora acabamos de rezar a primeira dezena do Rosário. Paramos por aqui, mas vocês depois irão terminar o Terço sozinhos. Para continuar a recitação do Rosário devem indicar o segundo Mistério e - sempre segurando a bola grande - recitar o Pai Nosso. Depois rezarão as outras dez Ave-Maria...
Crianças, lembrem-se que rezar o Terço leva apenas quinze minutos, a centésima parte do dia... Se vocês tivessem 100 balas e eu lhes pedisse uma, você me daria? Sim? Bem, a Virgem Maria lhes pede apenas a centésima parte do seu dia...
QUEREIS FAZER UM SACRIFÍCIO AGRADÁVEL PARA O PAPAI DO CÉU?
Os três Pastorinhos de Fátima faziam tantos sacrifícios, queremos fazer um também nós, para que venha logo a Paz? Sim?! Bem, eu vou dizer qual é o sacrifício que Nossa Senhora quer de vocês. Preparem-se porque é muito duro, muito difícil:
Nossa Senhora lhes pede para não assistir televisão! Ela explicou por que: “A televisão - disse Ela - está destruindo sua mente e seu coração! Vocês não são mais capazes de pensar livremente porque a televisão os atordoa com tanta violência, mentiras, falsos valores, maus exemplos e falta de amor verdadeiro!”.
Convido você a fazer este sacrifício pelo menos uma semana! Mas seria bom então renovar o propósito de semana em semana. Há alguém disposto a fazer esse sacrifício? Sim?
Bem, obrigado por isso. E lembrem-se, o sacrifício que mais lhes custa é o que tem mais valor.

Obrigado, crianças. Obrigado da parte do Pai e Mãe do Céu e também de minha parte.



MANDAMOS UM BEIJO PARA NOSSA MÃE DO CÉU

Antes de partir, queremos enviar um beijo à Nossa Mãe do Céu? Sim? Bem, vamos provar... e agora vamos dar uma salva de palmas e um canto a Nossa Senhora (* decidir antes da reunião qual canto fazer com os professores).


 "MAMÃE DO CÉU EU ME DOO A TI!" abaixo de 6 anos

(Recomenda-se de trazer as crianças pré-escolares em pequenos grupos).

Meus pequeninos, bom dia a todos! Eu sou... (* dizer o próprio nome), vocês sabem quem é esta Senhora aqui presente? (* Apontando para a imagem de Nossa Senhora de Fátima) Quem é?
- “Maria” (ou Nossa Senhora) - Quem é Maria?
- “A Mãe de Jesus” - É verdade. Mas de quem mais é a Mãe?
- “Nossa” - Só vocês pequenos ou também dos grandes?
- “Também dos grandes!”.
- É Mãe mesmo daqueles que fazem coisas más, que roubam, que matam...? – “Sim... Não!...”
(* Deixe as crianças responder).
Eu vejo que não estamos todos de acordo... agora vou explicar-lhes uma coisa importante: Todos os homens, jovens e velhos, bons e maus, pertencemos a uma grande família onde Deus é o Pai, a Virgem Maria é a Mãe, Jesus é o Irmão mais velho e nós somos todos irmãos.
Como acontece em todas as famílias, na grande família humana há alguma criança que não se comporta bem, que faz coisas más. A mãe e o pai as amam sempre, mesmo que elas sejam ruins. Mas quando vocês se comportam mal, seu pai e sua mãe estão felizes? - "Nããão!"

- Claro que não, porque a mãe e o pai querem que seus filhos sejam sempre... “... Bons” (* Deixe as crianças responder).

- Bem, agora vou lhe contar uma história muito importante, falo como se fosse um conto de fadas, mas é uma história verdadeira que começou no Céu. Como é o Céu? (* Deixe as crianças responder) – “É azul...! É branco!...”
- É verdade, o Céu é azul, quando há nuvens é branco ou cinza, mas por trás do azul ou branco é um mundo maravilhoso que se chama... (* Deixe as crianças responder) – “Céu”. É um mundo lindo em algumas coisas é como a terra: há muitas flores, há sempre um sol maravilhoso... Mas acima de tudo o Céu é bonito, porque todo mundo é bom e todo mundo se gosta: sem gritos, ninguém faz o mal, você não está sozinho, está sempre jogando e sempre sorrindo...
A história que estou para lhes contar aconteceu lá no Céu... Onde mora Nossa Senhora? (* Deixe as crianças responder) – “No Céu!”.
- E quem mais vive no Céu? (* Deixe as crianças responder) – “... Jesus, Deus Pai..., ...os Anjos e os Santos ...”
- E os nossos parentes que morreram aonde eles vão? (* Deixe as crianças responder) – “No Céu”.

Um dia, a Virgem Maria foi passear nos belos jardins do Céu e se encontrou com Deus... Quem é Deus? (* Deixe as crianças responder, se ninguém falar, sugerir... “Deus é nosso...”) – “Pai!”.
- ...E Maria viu que o Pai do Céu estava muito triste, e disse-lhe: - Querido Papai, por que Você está tão triste? Todos lhe amamos... E o Pai do Céu respondeu: - Sim, é verdade, aqui no Céu são todos bons e me querem muito bem, mas tenho tantos outros filhos que vivem na... (* Deixe as crianças responder) – “...terra!”.
- Destes filhos, alguns são bons, especialmente as crianças, mas entre os grandes, há muitos que não Me amam, Me insultam, fazem coisas ruins, roubam, ferem seus irmãos, matando alguns deles com muita violência e guerras... Como posso ser feliz com um monte de filhos maus que estão em perigo de ir para o inferno?
A Virgem Maria chorou e disse para o Pai do Céu - Pai, Eu não posso vê-Lo sofrer... Se Você me deixar, Eu vou à terra e vou lhe garantir que todas as pessoas se tornarão boas, Eu prometo. O Pai do Céu sorriu à pequena Maria e disse: - Ok desce sobre a terra, mas não vai ser fácil, porque muitas pessoas não Te acolherão e não Te ouvirão... Obrigado pelo que Você poderá fazer.


Nossa Senhora desceu à terra, mas ninguém a reconheceu, parecia uma Mãe como todas as outras. Ela foi onde estavam seus filhos piores e tentou convencê-los a tornarem-se bons.
Ela se aproximou de alguns jovens que estavam brigando, dizendo palavrões, eles desobedeciam aos seus pais e disse-lhes: - Meus filhos, porque fazem essas coisas más? Por que vocês não se comportam bem? - E eles responderam - Nós não somos crianças, somos adultos e fazemos o que nós queremos. Nós não queremos ouvir.
Chegou a um país que estava fazendo uma guerra terrível. Havia muitos soldados que estavam atirando uns aos outros com armas - com armas de verdade! – E se matavam... E a Virgem Maria, disse-lhes: - Meus filhos, por que vocês estão matando? Por que não querem fazer a paz e não se amam, não jogam juntos, não querem se ajudar uns aos outros... Mas eles responderam: - Nós somos grandes, temos as armas e queremos matar. Não queremos ouvir Você!
Pobre Nossa Senhora! Nossa pobre Mãe do Céu! Ela estava tão cansada que parou para descansar um pouco, Ela chorou e disse: - “Estes meus filhos não querem Me ouvir. Eu não aguento mais isso! Eu prometi ao Pai do Céu que os tornaria todos bons, mas sozinha não consigo fazer isso. Eu preciso encontrar alguém para me ajudar... E quem poderia ser?”.




(* Neste ponto, as crianças começam a dizer: - “Jesus!”. Responder-se-á: - “Mas Jesus está no Céu...”. “Deus!”; se responde: “Ele está também no Céu”; “Os Anjos...!”; “Mas também os Anjos estão todos no Céu...). Nossa Senhora precisava de alguém para ajudá-La aqui na terra... Quem poderia ser?... A quem poderia Ela pedir ajuda?
Caminhou, caminhou e um dia viu três crianças que eram pastores e que estavam em um campo com as ovelhas. Eram três crianças um pouco maiores de vocês, chamavam-se Lúcia, Francisco e Jacinta... A Nossa Mãezinha viu esses três pequenos e pensou: “As crianças! Os grandes não querem Me ouvir e não querem Me ajudar, mas quem sabe... talvez as crianças vão me ajudar!”.
De repente, as crianças viram uma grande luz, e no meio dessa luz, uma Senhora bonita, mais brilhante que o sol. Eles tiveram um pouco de medo... mas a Senhora acalmou-os com estas palavras: “Crianças, não tenham ... (* Deixe as crianças continuam)... medo! Não quero fazer-lhes algum... (* Deixe as crianças continuam)... mal”.
As crianças se animaram e começaram a fazer muitas perguntas a esta bela Senhora: “Quem é você? Qual é o Seu nome? De onde você é? O que você quer de nós?”. E a Senhora respondeu:  “Eu venho do Céu... Eu sou a Mãe de Jesus e de todos os homens... Eu vim porque quero fazer todos os homens bons, mas sozinha Eu... (* Deixe as crianças continuam)...não posso. Eu vim para pedir sua ajuda!... Vocês vão Me ajudar a tornar todos  bons?”
As três crianças, pensaram um pouco, e depois disseram com todo o seu coração: “Sim nós ajudamos Você!”.
A Mãe do Céu com as três crianças fez tantas coisas bonitas, que iremos lhes contar quando irão para a escola primária. Mas uma coisa muito importante devo dizer-lhes logo: Nossa Senhora me disse esta manhã: “Nesta escola há muitas crianças... vamos ver se entre eles há alguém que está disposto a ajudar, assim como as três crianças de Fátima. Eu não aguento mais!”.
E eu vim aqui. Agora lhes pergunto:
“Há alguém entre vós que está disposto a ajudar Nossa Senhora? Levante a mão quem quer ajudar!” (* Levante a mão para dar o exemplo...).
- "Eu ... eu ... eu ... eu ...”.
- Bem, agora podem baixar suas mãos e responder aquilo que vou lhes perguntar: Querem ajudar a Mãe do Céu para tornar todos bons? – “Siiiim!”.
- Querem dar-vos ao Pai Celestial para consolá-lo por todo o sofrimento que Lhe causam os filhos ruins? “Siiiiiim”
Bem, agora vou lhe ensinar algumas pequenas orações. A primeira ao Papai do Céu: - “Pai, eu me entrego a Ti”. Repita todos juntos: “PAPAI DO CÉU EU ME ENTREGO A TI!”.
A segunda à Mãe do Céu, “Mãe do Céu, eu me entrego a Ti!”. Repetimos todos juntos: “MAMÃE DO CÉU, EU ME ENTREGO A TI!”. A última ao nosso Anjo da Guarda: “Meu irmão, me dê a mão, me leve a Deus”. Vamos repetir juntos: “MEU IRMÃO, ME DÊ A MÃO, ME LEVE A DEUS!”.

Agora eu convido você para dar um beijinho à Nossa Mãezinha do Céu. Queremos enviar-lhe um beijinho? Sim? Então, vamos enviar este beijinho... Não, assim não vai... vocês têm que soprar o beijinho se não não chega... Faça como eu, soprando...
É isso mesmo... Mas aconteceu uma confusão: os beijinhos vieram todos juntos, e à Mãe do Céu não conseguiu descobrir quem os enviou para ela. Queremos dar-lhe um beijo um de cada vez, para lembrar exatamente quem deu para Ela? “Este Me deu... João, Maria... e este... esse Antonio”. Queremos provar? Sim?
Bem, então formamos uma fila um de cada vez dê um beijinho em Nossa Mãezinha, dizendo-Lhe a pequena oração que aprendemos: “MÃMÃE DO CÉU ME ENTREGO A TI”.


 

(* Deve se ter muito cuidado, porque as crianças muitas vezes se atrapalham em dizer esta pequena oração, que deve ser feita novamente até que a rezem corretamente. Além disso, muitas vezes acontece que nem todas as crianças são preparadas para dar o beijo e pronunciar a formula curta de consagração: há sempre alguém que se recusa: é uma confirmação da validade da Consagração).
Terminar com uma música e uma saudação à Virgem Maria.